Duas empresas participam da penúltima edição do É Gente Nossa! deste ano

(ACIFI, em 29 de setembro de 2010)

Uma empresa na área de construção civil e outra do setor odontológico foram os destaques da penúltima edição deste ano do projeto É Gente Nossa!, criado em 2009 para promover a integração entre os associados, a partir da apresentação da trajetória empresarial dos convidados. O projeto é promovido nas últimas segundas-feiras de cada mês e reúne um público médio de 100 pessoas.
Nesta segunda-feira, dia 27, foram convidadas a se apresentar os sócios-proprietários da Construtora Tarobá, do ramo da construção civil, e a clínica odontológica Calegari & Eckert.
Os irmãos Renato Pena Camargo e José Pimenta Camargo Neto fizeram um relato sobre a história da Construtora Tarobá, que nasceu em 1995 para atender, primeiramente, diversas obras civis no Paraguai, mas que aos poucos foi ampliando suas incursões no mercado iguaçuense. Hoje, a empresa atende poucos negócios fora do município segundo o engenheiro Renato, diretor técnico da empresa.
Fazem parte do portifólio da empresa obras como UPA – Unidade de Pronto Atendimento 24 horas, recentemente inaugurado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva; as reformas estruturais do Ecomuseu e de diversas dependências do antigo alojamento de barrageiros que hoje abriga o PTI – Parque Tecnológico Itaipu; o Centro de Convivência Lagoa Dourada; Módulo Policial do Cidade Nova; creches e postos de saúde; readequação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu – Cataratas; entre outras obras.
Renato enumerou algumas dificuldades enfrentadas no setor que é marcado, segundo ele, “por altos e baixos”. “Em época de muitas demandas de obras, o problema é arrumar mão-de-obra qualificada. Em baixa temporada, é conseguir manter o quadro de profissionais”, revelou o empresário que hoje conta com mais de 100 colaboradores.
A segunda empresa a se apresentar, a Calegari e Eckert, atua no setor odontológico de Foz do Iguaçu desde o ano 2.000, quando Marco Antônio Calegari, que trabalhava como pessoa física, associou-se a Lis Andréia Eckert, hoje sua esposa, fundando a empresa. A primeira crise enfrentada veio do outro lado da fronteira, na Argentina, que representava 40% da clientela. Depois foi o crescente surgimento de profissionais, a maioria formada nas universidades do Paraguai, no qual ele foi professor. Ele explicou que a especialização – ele tem titulação de mestrado – é o diferencial neste setor que vem com uma super oferta de profissionais, o que afeta principalmente a questão dos preços. “A prestação de serviço é intangível e, por isso, difícil de dimensionar valores. Nosso desafio é otimizar os custos, mantendo rigorosamente a qualidade, para ampliar o atendimento, por exemplo, através de redes de convênios e planos de saúde”, afirmou.
A empresa que atende uma grande clientela no setor de ortodontia, também oferece serviços de cirurgia bucal, com um profissional que se desloca mensalmente de Curitiba a Foz, e também de psicologia clínica. “Tratamos o paciente como uma pessoa e não como uma boca”, finalizou.
A terceira vice-presidente da ACIFI, Graciela Baranoski Flório, coordenadora do projeto É Gente Nossa!, explicou que a entidade promoverá somente mais uma edição neste ano, no mês de novembro. A edição de outubro foi suspensa devido à proximidade com a 2ª. Feira de Negócios da ACIFI, que acontece de 20 a 23, no Hotel Golden Tulip Internacional. E em dezembro, tradicionalmente a ACIFI não realiza o evento em respeito às atividades do comércio que prepara-se para as vendas de fim de ano.