Portos do Paraná e ACIFI assinam termo de cooperação

(ACIFI, em 22 de outubro de 2010)

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), a Associação Comercial e Industrial de Paranaguá (Aciap) e a Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (Acifi) assinaram nesta terça-feira (19), em Foz do Iguaçu, um termo de cooperação que visa trocar experiências entre as entidades envolvidas e fomentar o comércio exterior no Paraná. A assinatura aconteceu durante o encerramento da XX Convenção Anual da Federação das Associações Comerciais do Paraná (Faciap).
De acordo com a presidente da Acifi, Elizangela de Paula Kuhn, Paranaguá e Foz do Iguaçu são cidades que têm realidades semelhantes e muito a compartilhar. “Acredito que ao somarmos esforços, teremos mais força política, conseguiremos angariar mais recursos e até poder de brigar por mudanças na legislação que beneficiem ambas as partes”, destacou.
Para o superintendente dos Portos do Paraná, Mario Lobo Filho, o convênio envolvendo Appa, Acifi e Aciap é uma oportunidade de aproximação entre duas cidades geograficamente distantes, mas com vocações similares de comércio exterior. “Estive em Foz há algumas semanas visitando a Acifi e percebi que eles possuem uma grande experiência principalmente no que diz respeito às importações e nós em Paranaguá, temos o conhecimento mais avançado na parte das exportações. Acredito que este termo de cooperação vai permitir que haja uma troca de conhecimento nestas áreas”, explicou o superintendente.
Já o vice-presidente da Aciap, Khalil Hamud destacou que o termo de cooperação assinado só deve trazer vantagens às duas cidades. “Se conseguirmos colocar em prática pelo menos parte deste protocolo de intenções, Paranaguá e Foz do Iguaçu ganharão muito”, disse.
Uma das primeiras ações de parceria será a troca de experiências para a instalação do Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex) em Foz do Iguaçu. Trata-se de uma opção para o desembaraço de mercadoria em recintos localizados em zona secundária e não-alfandegados e é considerado uma alternativa para o exportador driblar a morosidade e a falta de espaço nas áreas alfandegadas, reduzir os custos de armazenagem e agilizar a operação.
De acordo com Lobo Filho, o Porto de Paranaguá foi pioneiro na implantação deste regime e tem o Redex instalado há mais de 10 anos. “Poderemos colaborar com este processo que eles estão tendo dificuldades. Em contrapartida, neste primeiro momento, a Acifi pode nos auxiliar nas questões de importação, tão conhecida por eles, mas ainda menos explorada por nós”, disse.
Paraguai – Outra linha de ação prevista no termo é a recuperação das exportações feitas pelo Paraguai via Paranaguá que eram bastante freqüentes na década passada, mas que agora foram bastante reduzidas. De acordo com o diretor de Comércio Exterior da Acifi, Mário Alberto de Camargo, vai ser iniciado um trabalho de resgate dos antigos clientes que movimentaram suas cargas via porto de Paranaguá e que agora passaram a escoar suas mercadorias por hidrovias. “Vamos fazer um trabalho de incentivo, reduzindo tarifas e incentivando a retomada das atividades através do Porto. No que se refere aos contêineres, já estamos tendo resultados. No entreposto franco-paraguaio que existe em Paranaguá, temos movimentado cerca de 120 contêineres mês. Após este termo, a idéia é ampliarmos para até 700 contêineres mês”, disse Camargo.
Faciap – Pelo segundo ano consecutivo, a Appa participa da Convenção Anual da Faciap. Este ano, o evento reuniu mais de mil empresários que participaram dos três dias de programação, que incluíram painéis, palestras e uma vista técnica ao porto seco de Foz do Iguaçu. Os Portos do Paraná estiveram presentes com um estande, apresentando ao empresariado o funcionamento dos Portos do Paraná e esclarecendo dúvidas sobre os processos de importação e exportação.  (Fonte: Assessoria de Imprensa da APPA)