Secretário fala sobre Distrito Industrial e política de incentivo à indústria

(ACIFI, em 18 de maio de 2011)

Atendendo ao convite da presidente da ACIFI – Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu, Elizangela de Paula Kuhn, o secretário de Desenvolvimento Socioeconômico de Foz do Iguaçu, Adevilson Gonçalves, participou da última reunião semanal de diretoria da associação. “É importante que o secretário ligado à pasta da indústria e do comércio acompanhe as ações da ACIFI, bem como compartilhe informações sobre a evolução da política de desenvolvimento econômico para a nossa cidade”, explicou a presidente da entidade.
Na última reunião que foi conduzida pelo primeiro vice-presidente Roni Temp, Adevilson Gonçalves apresentou dados sobre a política de incentivo à industrialização do município, um dos assuntos da área de interesse do empresariado local. Segundo informou, treze indústrias já estão instaladas no Distrito Industrial de Foz, localizado no Morumbi, e não apresentam problemas com inadimplência, conforme o secretário. Juntas elas geram 733 empregos diretos. Outras 18 empresas estão em fase de construção para início de operacionalização.
E a lista de espera por uma área é grande, antecipou Adevilson. “Vinte empresas a licitação para entrarem no Distrito Industrial”, informou aos presentes. Atualmente o Parque Industrial de Foz do Iguaçu, abriga 13 empresas que geram 733 empregos diretos, ainda estão em construção mais 18 empresas.
Desde que foi criado o Distrito Industrial de Foz do Iguaçu, pela atual administração municipal, são concedidos aos interessados uma série de benefícios como incentivo ao processo de industrialização do município, a começar pelo valor do terreno pode ser ofertado a partir de R$ 1,00 o metro quadrado, sempre por meio de licitação pública. Após a aquisição da área, a empresa tem o prazo de seis meses para começar a construir sua sede e vinte e quatro meses para a finalização da mesma. Além do terreno, a Prefeitura de Foz oferece toda infraestrutura do local.
Conforme revelou o secretário, já foi encaminhado à Câmara Municipal um projeto para instalação de mais uma área industrial na cidade, atendendo ao segmento industrial de autopeças. “Há a previsão de se instalar uma empresa de autopeças que irá gerar aproximadamente 400 empregos diretos”, afirmou.
Como política de incentivo, a prefeitura oferece até 10 anos de isenção de impostos, podendo ser prorrogado por mais 15 anos. “Comparando-se a outras cidades, estamos muito avançados com nosso parque industrial”, acentuou.
Adevilson Gonçalvez respondeu alguns questionamentos da diretoria sobre críticas relativas à  distância do Parque Industrial da BR 277; sobre a falta de sinalização da área industrial; dentre outros. O secretário afirmou que grande parte do traçado da futura Perimetral Leste é dentro do parque industrial, o que facilitará o acesso. E diz ter informações sobre a possível retomada das obras dessa ligação a partir de agosto. Com relação às placas de sinalização, o secretário afirmou que foram destruídas por vândalos, mas que haverá um portal identificando o parque industrial.
Adevilson esclareceu que as empresas que desistiram do parque industrial, não o fizeram por burocracia, mas sim “porque outros estados ou cidades oferecem descontos tributários superiores”. “O (Governo do Estado do) Paraná já declarou que não irá mais perder industrias e irá ajudar em todos os tributos possíveis, até de infraestrutura”, afirmou.