FACIAP e Secretaria de Turismo firmam pacto para desenvolvimento turístico regional

(ACIFI, em 9 de novembro de 2011)

O presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná – FACIAP, Rainer Zielasko, e a vice-presidente para Assuntos de Turismo da federação, Elizangela de Paula Kuhn, firmaram nesta terça-feira (dia 8) com o secretário de Turismo, Faisal Saleh, um termo de cooperação em prol do desenvolvimento das atividades turísticas regionais no Estado. De acordo com Elizangela, o termo de cooperação é um pacto firmado com a classe empresarial, por meio das Coordenadorias Regionais da FACIAP, para “contribuir com o desenvolvimento sustentável do turismo no Paraná”, e para a expansão e consolidação do setor turístico nacional, meta do Pacto Paraná pelo Turismo, coordenado pela secretaria.
Pelo termo assinado entre a SETU e a FACIAP, serão desenvolvidos até março do próximo ano, detalhamentos de ações e processos de capacitação para, entre abril e julho de 2012, iniciar os levantamentos de informações, internos e externos, para inicio da operacionalização do projeto.
Elizangela destaca que a FACIAP, entidade que representa aproximadamente 50 mil empresários paranaenses em 290 associações comerciais, atua como porta-voz desses associados junto aos órgãos governamentais. “A FACIAP detém expressiva capilaridade, através de doze coordenadorias regionais que representam 75% dos municípios paranaenses”, ressalta, destacando que essa presença confere às coordenadorias uma ação mais efetiva na identificação dos pilares regionais para a estruturação do turismo e das instâncias de governança estabelecidas nessas regiões de atuação.
O termo de cooperação influenciará na política pública para o turismo no estado que possui um fluxo turístico de aproximadamente 13 milhões de visitantes e movimentam o segmento que é desenvolvido por 16.692 empresas e que geram 114,8 mil empregos formais.
“A FACIAP vai designar um coordenador para buscar, junto às coordenadorias, além de informações, ações para mobilizar a classe empresarial, através dessas coordenadorias e das associações, visando apontas projetos que contribuam com esse trabalho”, explicou Elizangela.