ACIFI contribui com propostas para lei de despoluição visual

(ACIFI, em 21 de dezembro de 2011)

O presidente eleito da Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu – ACIFI, Roni Temp, e o primeiro vice-presidente da gestão 2012/2013 da ACIFI, João Batista de Oliveira, reuniram-se na semana passada com o secretário de Planejamento, Wádis Benvenutti para entregar sugestões à minuta do projeto de lei de Ordenamento da Publicidade apresentado pelo Executivo apresentado pelo Poder Executivo.
O documento foi elaborado por uma comissão integrada pela ACIFI, Sindilojas, Sindhotéis, Secovi, Câmara Municipal, Prefeitura e o Sindicato das Empresas de Publicidade Externa do Estado do Paraná (SEPEX) – que há cerca de dois anos estuda o assunto. Esse grupo de trabalho vem reunindo-se há mais de dois meses para apresentar propostas ao projeto pretendido pela prefeitura visando dar um ordenamento nas chamadas mídias externas – publicidades como outdoors, painéis, e propagandas nas fachadas de empresas,  dentre outros.
“Apresentamos uma proposta de emenda à minuta do projeto que foi proposta pela prefeitura e que será avaliada pelo departamento técnico da secretaria de Planejamento”, explicou João Batista, que é empresário desse segmento. Ele explicou que a proposta apresentada pela comissão é uma alternativa que não seja muito onerosa para as empresas do segmento, mas que ao mesmo tempo contribua efetivamente para proporcionar um visual mais limpo e belo aos turistas e cidadãos iguaçuenses.
“Todos terão de fazer sacrifícios, mas esse ordenamento é necessário porque a cidade tem pontos de concentração desordenada de mídia externa, como por exemplo, na entrada da cidade, e seguindo, desde o trevo da Costa e Silva até a Ponte da Amizade; e nas proximidades do trevo de acesso à Argentina”, exemplificou. O segmento no qual trabalha o vice-presidente será um dos mais afetados porque perderá 80% do total de espaços (em metros quadrados) hoje disponíveis para propaganda, reduzindo em aproximadamente 60% o atual número de peças publicitárias existentes. “Mas, como ponto positivo, haverá uma valorização maior da mídia externa, sem falar no embelezamento urbano, visto que somos uma cidade turística”, acrescentou.
Na visão do vice-presidente da ACIFI, nas últimas décadas houve um crescimento desordenado das publicidades externas, estimuladas por diversos fatores que devem ser considerados neste momento em que se propõem mudanças. “A propaganda externa cresceu desproporcionalmente e por isso há a necessidade de maior conscientização de todos, principalmente da classe empresarial, sobre o ordenamento e o disciplinamento de fachadas e outdoors e da mídia comercializada”, finalizou.