Cidadão Legal recebeu 988 crianças este ano

(ACIFI, em 21 de dezembro de 2011)

A campanha Cidadão Legal, desenvolvida pela ACIFI e a Delegacia da Receita Federal do Brasil, em Foz do Iguaçu, recebeu 988 crianças no período de maio a dezembro deste ano. O projeto que visa conscientizar sobre as atitudes de cidadania que possam transformar a sociedade iguaçuense é uma ação inédita e vem atraindo a atenção de autoridades de outras cidades brasileiras que também pretendem desenvolvê-la.
Implantada no dia 5 de maio deste ano, pela então rpesidente da ACIFI, Elizangela de Paula Kuhn, e pelo delegado da Receital, Rafael Dolzan, a campanha Cidadão Legal tem como objeto mobilizar todos os setores da sociedade de Foz do Iguaçu, para encararem a ilegalidade (notadamente o contrabando, descaminho e a pirataria) como problema que precisa ser combatido e cujas consequências são desastrosas pois causam o desemprego, aumenta a violência, prejudica o meio ambiente e coloca em risco a saúde da população. É uma forma de evitar que jovens abandonem os estudos para trabalhar como “laranjas”, o que acaba sendo uma porta aberta para atividades ilícitas e se reflete nas estatísticas criminais.
O projeto destaca oito atitudes de um cidadão legal: ter consciência de seus direitos e deveres; ter postura ativa diante dos problemas a sociedade; contribuir com a arrecadação dos recursos públicos e fiscalizar sua aplicação; ser solidário e ajudar a combater a miséria; preservar o meio ambiente e manter a cidade limpa; não admitir a exploração do ser humano; respeitar a diversidade cultural e social; e ser honesto e combater o ilícito e a corrupção.

Teatro de Fantoches- Um dos pilares desse projeto é um trabalho lúdico desenvolvido com crianças de escolas e entidades assistenciais da cidade. Por meio do teatro de fantoches, cuja peça “O Segredo de Cidadania” é realizada por servidores da Receita Federal, exemplos de cidadania que foram repassados para menores de crianças de dois a dezesseis anos de idade, de sete colégios estaduais, um colégio particular e duas escolas municipais, além da APAE, Casa Maria Porta do Céu, Centro Profissionalizante Raiane da Silva Soares, Casa Ofício e PETI – Programa de Erradicação do Trabalho Infantil.
De acordo com a coordenadora do projeto, Patrícia Gomes de Oliveira, as crianças conseguem apreender a mensagem repassada de maneira divertida, sobre os problemas causados pelo contrabando e descaminho, tais como o desemprego, evasão escolar, prejuízos à saúde (através da venda de produtos que vão desde agrotóxicos a remédios proibidos no país, dentre outros objetos como óculos com lentes plásticas que lesam a visão, brinquedos que não observam normas técnicas seguras para crianças, dentre outros exemplos), e a abertura para iniciativas criminosas, como o tráfico de drogas e de armas.

Palestras – Para o público adolescente e adulto, a abordagem da campanha Cidadão Legal é feita por meio de palestras desenvolvidas pelo auditor fiscal Ivair Hoffmann, que destina parte de seu tempo para revelar dados sobre os “Os Malefícios do Contrabando e do Descaminho”.
A palestra recheada de fotografias que retratam a realidade das atividades ilegais foi ministrada este ano vinte alunos da UNOESC – Universidade do Oeste de Santa Catarina – e para 37 alunos da cidade de Chapecó (SC), que visitaram a Delegacia da Receita Federal de Foz. Hoffmann também proferiu a palestra para cem estudantes do Colégio Ativa, na cidade de São Miguel do Iguaçu.
O tráfico de animais e as péssimas condições a que são submetidos os bichos retirados da natureza servem como alerta para que o cidadão comum não compactue com a atividade criminosa.
A Campanha Cidadão Legal conta com um site onde é possível conferir as oito atitudes que um cidadão legal deve adotar. Para conhecer, basta acessar: . As apresentações serão retomadas no próximo ano, com ampliação das ações da campanha.
Escolas ou instituições interessadas poderão agendar as palestras ou apresentações do teatro de fantoches a partir de janeiro de 2012. Para tanto, deverão procurar a Delegacia da Receita Federal, ou buscar informações pelo telefone: (45) 3520 4305.