Entidades divulgam relatório final do Fórum “A Foz do Futuro”

(ACIFI, em 24 de agosto de 2012)

Sugestões feitas pela sociedade embasarão atuação do futuro conselho de desenvolvimento – CODEFOZ

O relatório final do fórum “A Foz do Iguaçu do Futuro”, realizado em 14 de abril deste ano, já está publicado no site http://www.fozdofuturo.com.br e está sendo encaminhado a autoridades de todos os órgãos e instituições que atuam no município.  A entrega do documento foi oficializada na tarde de sexta-feira (24), numa coletiva com a imprensa local, com representantes das entidades que idealizaram o fórum: Roni Temp, da ACIFI; Gilmar Piolla, do Fundo Iguaçu; Mauro Sebastiany, do Iguassu Convention and Visitors Bureau; Paulo Angeli, do Comtur; além da OAB, representada pelo diretor tesoureiro da subseção de Foz, Valter Cândido Dominguez; e do Sindhotéis, representado pelo diretor Adélcio Rafagnin.

O fórum foi realizado no dia 14 de abril, no Hotel Rafain Palace, e reuniu 324 pessoas numa tarde extremamente chuvosa. Apesar do número de participantes ter sido inferior ao estimado em conseqüência da chuva, os idealizadores consideraram excelentes os resultados dos debates.

Com propostas para todas as áreas, o relatório, que resultou de discussões entre lideranças comunitárias e representantes dos diversos setores de atividades, públicos e privados, embasará a atuação do futuro Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico – o CODEFOZ.

“Esperamos que o relatório final do fórum ‘A Foz do Iguaçu do Futuro’ seja um documento que venha a nortear o planejamento da administração pública municipal para os próximos anos”, afirmou Gilmar Piolla, superintendente de Comunicação Social da Itaipu e presidente do Fundo Iguaçu.

O presidente da ACIFI, Roni Temp, explicou que a proposta de criação do CODEFOZ foi aprovada por diversas entidades representativas da cidade e já está em processo final de elaboração pela Prefeitura. “O projeto de lei será encaminhado na próxima semana para a Câmara Municipal, onde faremos um trabalho expositivo com os vereadores para sua aprovação visando já termos a inclusão no orçamento de 2013”, ressaltou.

Temp considera que as propostas do fórum “A Foz do Iguaçu do Futuro” representam o “marco zero” do CODEFOZ. O evento, segundo ele, foi importante “pelo nível e qualidade das pessoas que participaram, todas comprometidas com a busca das melhores soluções para nossa cidade”. O presidente da ACIFI diz que, depois desse primeiro fórum, poderão ser organizados outros, nos próximos anos, para avaliar o que foi executado e definir novas propostas para balizar a atuação do CODEFOZ.

O CODEFOZ será deliberativo e fiscalizador, com 31 representantes, dos quais 25 de entidades como Associação Comercial e Industrial, Fundo Iguaçu, Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares, Ordem dos Advogados do Brasil, Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu, universidades e outras.

O diretor executivo da ACIFI, Dimas Bragagnolo, explica que o CODEFOZ vai elaborar projetos a partir das sugestões apresentadas pela sociedade, buscar recursos e só então encaminhar à Prefeitura para os procedimentos de execução, da licitação ao acompanhamento das obras.

Ele diz que o CODEFOZ se baseia no Conselho de Desenvolvimento Econômico – Codem – de Maringá, criado em 1996, que já acumula grandes conquistas, como a criação do Centro Tecnológico de Maringá, a implantação de novos cursos na Universidade Estadual de Maringá e a formulação do projeto para o novo centro da cidade.

O Codem conseguiu até mesmo que a Anatel aprovasse uma proposta que beneficiou milhões de moradores de municípios onde o prefixo telefônico era o mesmo. A ligação telefônica entre esses municípios, antes cobrada como tarifa interurbana, passou a ser considerada como ligação local.

Bragagnolo considera isso resultado do trabalho e da articulação de pessoas altamente capacitadas, das mais diversas instituições, com respaldo da Prefeitura e da Câmara Municipal. “A Prefeitura aceita compartilhar a gestão com o conselho e, em contrapartida, recebe gratuitamente o know-how dos técnicos de setores organizados da sociedade”, diz.

Discussões – O fórum foi aberto com a participação de 600 pessoas, das quais 324 delas se envolveram diretamente na discussão dos temas e formulação de propostas. Além de lideranças comunitárias, participaram representantes de diversas instituições, incluindo alunos e professores das universidades e faculdades de Foz do Iguaçu.

Os participantes do fórum foram divididos em dez grupos, cada um dos quais responsável pela análise, discussão e apresentação de propostas para os seguintes temas: Educação, Ciência e Tecnologia; Saúde; Cultura, Esporte e Lazer; Gestão Pública e Governança; Segurança e Direitos Humanos; Desenvolvimento Econômico; Desenvolvimento Sustentável; Desenvolvimento Social; Desenvolvimento Urbano; e Desenvolvimento Regional.

Muitas das propostas, pela sua importância e por serem alvo de muitas discussões na cidade, acabaram permeando quase todos os temas. É o caso da implantação de viadutos e trincheiras, da criação do Projeto Beira-Foz e da duplicação da BR-277, por exemplo.

COMPARTILHAR: