Ex-prefeito Silvio Barros apresenta experiências do Conselho de Maringá ao CODEFOZ

(Andrea David, em 20 de junho de 2013)

O engenheiro e ex-prefeito de Maringá, Silvio Magalhães Barros foi o convidado da 6ª reunião plenária do CODEFOZ, realizada na sede da ACIFI (Foto: Andréa David)

O engenheiro e ex-prefeito de Maringá, Silvio Magalhães Barros foi o convidado da 6ª reunião plenária do CODEFOZ, realizada na sede da ACIFI (Foto: Andréa David)

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz de Iguaçu (CODEFOZ) realizou, ontem, dia 19, a 6° Reunião Ordinária do Plenário, no auditório da ACIFI. A mesa diretora, composta pelo presidente do CODEFOZ, Danilo Vendrusculo, o vice-presidente, Jorge Samek, secretário-geral, Jaime Nascimento, o presidente de honra, o prefeito Reni Pereira e pela vice-prefeita e secretária do Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Indústria e Comércio, Ivone Barofaldi, apresentaram a pauta de discussões para o plenário. O diretor executivo do CODEFOZ, Dimas Bragagnolo apresentou todos os coordenadores, vice-coordenadores e secretários eleitos, assim como os planos de trabalho até o fim de 2013.

O engenheiro e ex-prefeito de Maringá, Silvio Magalhães Barros apresentou na reunião do CODEFOZ, a experiência na administração pública e o trabalho junto ao Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (CODEM). Barros falou sobre as mudanças de pensamento e ordenação na cidade, na gestão de 2005 a 2012. “Em Maringá, o planejamento é feito pela sociedade organizada, com o apoio da Prefeitura e da população. É assim que devemos pensar nas cidades do futuro, para que elas sejam inteligentes”, afirmou.

Barros levantou vários questionamentos importantes sobre o desenvolvimento do município. Segundo ele, a mudança ocorreu com a organização da sociedade. “Hoje o CODEM tem 180 organizações e 400 pessoas envolvidas”. Barros afirmou também que o diálogo com a cidade é fundamental. “É uma questão de planejamento que, por sua vez, é uma questão de amplitude e horizonte. Devemos conversar mais com a população e entender quais são as suas prioridades”, completou.

(Fonte: Imprensa Codefoz)

COMPARTILHAR: