Entidades de Foz lançam manifesto sobre projeto para aumentar número de vereadores

(Andrea David, em 21 de outubro de 2014)

IMG_9716Entidades representativas da sociedade civil organizada de Foz do Iguaçu lançaram um manifesto sobre o projeto de lei que autoriza o aumento de 15 para 21 do número de vereadores na Câmara Municipal. A matéria será analisada em primeira votação nesta terça-feira, 21, na Câmara Municipal.

O documento é assinado pela Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (ACIFI), Observatório Social de Foz do Iguaçu (OSFI), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB, subseção Foz), Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhotéis), Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) e Iguassu Convention & Visitors Bureau (ICVB).

Representantes das entidades signatárias também concedem entrevista coletiva à imprensa às 14h30 desta terça-feira, na sede da ACIFI, localizada à Rua Padre Montoya, 451, centro. Durante a conferência, as lideranças de classe aprofundarão o debate em torno do manifesto.

—————————————————————————————————————————————————-

MANIFESTO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA DE FOZ DO IGUAÇU REFERENTE AO Projeto de Lei que altera o caput do art. 8º da Lei Orgânica do Município, aumentando de 15 para 21 a quantidade de Vereadores da CMFI

Excelentíssimo Senhor

José Carlos Neves

Presidente da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu

As entidades representativas da sociedade civil organizada de Foz do Iguaçu abaixo nominadas vêm solicitar que o tema seja retirado de pauta até que seja realizado o devido debate sobre o assunto e que todos os itens da proposta abaixo sejam devidamente atendidos e legalmente ratificados.

Em nosso entendimento, este não é o ponto central da discussão que precisa ser levantada. Para a sociedade iguaçuense, o foco das atenções deve ser voltado para os gastos e para a produtividade do Poder Legislativo Municipal.

Desta forma, a proposta que apresentamos a esta Casa de Leis no intuito de orientar sua atuação é a seguinte:

  1. Aprovação de Projeto de Lei limitando os gastos da Câmara Municipal ao valor máximo de R$ 50,00 (cinquenta reais) per capita/ano por habitante, indexado pela UFFI (Unidade Fiscal de Foz do Iguaçu) conforme a média do estudo comparativo realizado pelo Observatório Social de Foz do Iguaçu, que analisou os números das Câmaras Municipais de algumas das principais cidades do Estado: Cascavel, Londrina, Maringá e Ponta Grossa;
  1. A atuação da Câmara em relação ao Executivo Municipal deve contar com uma agenda de acompanhamento mais eficiente, em parceria com o Observatório Social de Foz do Iguaçu, entidade que conta com o apoio e o aval das principais entidades da sociedade civil para a execução deste propósito;
  1. Facilitar a aproximação da CMFI com os trabalhos realizados pelo Observatório Social de Foz do Iguaçu, criando uma agenda conjunta de trabalho para o acompanhamento da produtividade do legislativo municipal, como forma de qualificar os trabalhos realizados pela Casa de Leis, dando maior transparência e visibilidade e contribuindo para a melhoria da imagem da classe política junto à sociedade, hoje tão prejudicada em nível nacional;
  1. Melhorias no acesso aos sistemas de divulgação dos gastos da CMFI, através de site e/ou mecanismos eletrônicos que facilitem a compreensão dos dados e o acompanhamento das contas do órgão por parte do Observatório Social e das demais entidades interessadas, com a publicação mensal dos balancetes e demonstrações de resultados.

CONDIÇÕES

As propostas apresentadas estão sendo colocadas como condições mínimas para que o debate possa prosseguir e que assim, de fato, a democracia seja fortalecida, dando à sociedade a certeza e a segurança necessárias para garantir que o possível aumento do número de Vereadores realmente não aumentará os gastos da Câmara e contribuirá para o desejado aumento da produtividade do órgão.

Caso as reivindicações apresentadas não forem atendidas, não teremos outra escolha a não ser nos posicionarmos contra o aumento do número de Vereadores, por considerarmos que, mesmo com os recentes cortes anunciados pela Casa de Leis, os gastos da CMFI aumentarão e os objetivos preconizados pelo projeto de lei que altera o caput do art. 8º da Lei Orgânica do Município não serão atingidos.

Por fim, solicitamos que o presente manifesto seja lido na 3ª Sessão Ordinária de outubro da Câmara, dia 21/10/2014.

Cordialmente,

Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (ACIFI)

Observatório Social de Foz do Iguaçu – OSFI

Ordem dos Advogados do Brasil Subseção de Foz do Iguaçu (OAB Foz)

Conselho Municipal de Turismo (COMTUR)

Iguassu Convention & Visitors Bureau (ICVB)

Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu (Sindhotéis)

 

COMPARTILHAR: