Entidades acionam promotoria para conclusão de trincheira

(Andrea David, em 25 de Fevereiro de 2015)

Entidades entregaram petição ao promotor de Justiça, Marcos Cristiano de Andrade (Foto: Kiko Sierich)

Entidades entregaram petição ao promotor de Justiça, Marcos Cristiano de Andrade (Foto: Kiko Sierich)

Dezessete entidades da sociedade civil organizada protocolaram uma petição na 6ª Promotoria de Justiça de Foz do Iguaçu solicitando uma ação legal para a conclusão da trincheira na BR 277 com a Avenida Paraná. O documento foi entregue nesta terça-feira, 24, ao promotor Marcos Cristiano Andrade. A iniciativa faz parte do Movimento Pró Conclusão da Trincheira da Av. Paraná desencadeado no mês de janeiro. Um protesto na obra inacabada já foi realizado e uma nova manifestação está marcada para o próximo sábado (28), às 10 horas.

A petição reivindica medidas efetivas do Ministério Público Estadual contra o Governo do Estado, responsável pela realização da obra através do DRE-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná). O objetivo é a retomada imediata da construção e, principalmente, a conclusão da obra. O promotor irá analisar os documentos e prometeu dar retorno às entidades. “É louvável que a sociedade se organize e lute por aquilo que é legítimo e lícito”, disse.

Conforme o documento, três anos atrás, o anúncio da construção da trincheira na BR 277 com a Avenida Paraná encheu os iguaçuenses de esperança. No entanto, as paralisações resultaram em adiamentos da inauguração. Hoje “a população, totalmente transtornada e indignada, perdeu a paciência diante dos sucessivos atrasos e graves consequências”, alerta a petição assinada por 17 entidades.

O requerimento tem como anexo a cópia do contrato número 038/2013 firmado entre DER e o Consórcio Venetto – Itaúba, assim como cópias de aditivos e detalhes do Processo de Compra emitido pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná. “A cidade não pode continuar pagando o preço do descaso do poder público, seja da esfera municipal, estadual ou federal”, destacam as entidades em outro trecho do pedido.

Relação – A petição é assinada pela Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (ACIFI), Associação dos Arquitetos, Agrônomos e Engenheiros (AEFI), Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social (Codefoz), Conselho Municipal de Turismo (Comtur), Fundo Iguaçu, Iguassu Convention & Visitors Bureau, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Sindicato da Indústria da Construção Civil da Região Oeste do Paraná (Sinduscon) e Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Sescap).

Também engrossam o alerta o Sindicato das Empresas de Turismo (Sindetur), Sindicato dos Contadores e Técnicos em Contabilidade (Sincofoz), Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares (Sindhotéis), Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), Sindicato dos Eletricitários, Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi), Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Oeste do Paraná (Acomac Oeste PR) e Associação dos Moradores da Vila A.

COMPARTILHAR: