Novos hábitos saudáveis e restrições alimentares rendem bons negócios

(Andrea David, em 5 de maio de 2015)

Mercado está em alta e tende a crescer ainda mais

IMG_0021_A constante busca por uma alimentação mais equilibrada e saudável tem impulsionado o mercado de negócios e franquias. Uma pesquisa nacional, feita pela FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) com o Ibope, mostrou que quase 70% dos brasileiros estão acostumados a ler rótulos de alimentos e 32% fazem escolhas com base nos nutrientes que vão ingerir.

Hoje, muitos consumidores desejam manter uma alimentação saudável mesmo fora de casa. De olho nos consumidores preocupados em ter uma dieta mais equilibrada e com foco na saúde, franquias especializadas no comércio de produtos naturais estão em alta e só tendem a crescer.

Quando soube da pesquisa, a empresária Valdete Rafagnin ficou ainda mais otimista por ter escolhido investir na franquia da rede ProSaúde. A loja de produtos naturais, orgânicos e alimentos funcionais, na Av. Brasil, perto do 34º Batalhão do Exército, foi inaugurada há seis meses, na mesma época em que ela descobriu sua intolerância ao glúten, proteína presente na composição de diversos produtos industrializados como biscoitos, torradas, pães, bolos, massas, salgadinhos e até mesmo na cerveja e no sorvete.  Foi aí que passou a substituir os alimentos.

“Os celíacos têm dificuldade em driblar as comidas convencionais, por isso lojas especializadas em itens para quem tem restrições alimentares são importantes aliadas no tratamento”, conta.

ProSaúde (4)_O modelo de negócio da ProSaúde nasceu em Marechal Cândido Rondon e já está espalhado em franquias pelo Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. A loja oferece um cardápio variado de pães, bolos, salgados e tortas integrais, diet, sem glúten e sem lactose.

Animada com os resultados, a franqueada já buscou auxílio do Sebrae/PR e investe em parcerias. “O foco são as academias, para que possamos fornecer produtos da marca e suplementos alimentares aos atletas”, destaca.

Valdete não é a única que está de olho no segmento de produtos naturais e alimentação saudável. Esse setor do varejo apresenta alta e tem boas perspectivas porque possui uma forte característica de atender às necessidades básicas da população, que tem adquirido novos hábitos nos últimos anos.

Com mais de 6,8 mil itens, a Pomare não é mais a mesma

IMG_0009 copy_De produtos e ingredientes para ajudar as pessoas a ter uma alimentação mais saudável e equilibrada a Pomare Empório está cheia. Pela última contagem, a loja tem mais de 6.800 itens para atender à crescente clientela.

O estabelecimento começou pequeno e foi crescendo aos poucos. Há 13 anos, o mix era composto por hortifrútis, chás e temperos, mas novidades foram sempre bem-vindas por lá, e as prateleiras e gôndolas reservam boas surpresas para quem gosta de aventurar-se por novos sabores e experiências gastronômicas.

Os produtos a granel possibilitam que os clientes levem uma pequena quantidade e não desembolsem um valor alto, com isso não faltam consumidores. Do Espaço Gourmet também saem quiches, sucos desintoxicantes, bolos feitos com receitas balanceadas e funcionais, e saladas de frutas fresquinhas.

Os produtos sem glúten e sem lactose ocupam uma seção exclusiva. Há também os orgânicos. A oferta se justifica pela preferência por alimentos orgânicos que vem crescendo junto com a preocupação com qualidade de vida.

De vez em quando, a equipe sai da cozinha e tira os aventais de atendimento para aventurar-se no Projeto Expedição de Sabores. Os colaboradores já conheceram o Mercado Municipal de São Paulo e a boa comida servida na vizinha Puerto Iguazú, na Argentina.

A combinação de viagens com treinamentos e cursos de qualificação é uma das estratégias da empresária Micheli Cerutti. “Experiências assim despertam o interesse e motivam o pessoal a se envolver ainda mais com a marca e a proposta do negócio”, conta.

Na outra ponta está a busca por novos itens e fornecedores para as três linhas – hortifrútis, cereais e Espaço Gourmet – que formam o contexto da loja. Ela atribui o sucesso à amizade dos clientes. “Eles sugerem e dão ideias, e é esse ótimo relacionamento que fez da empresa o que ela é, tanto em variedade quanto o estilo da loja. Se não fossem eles, não seria a Pomare”, ressalta.

 Pronapi também oferece produtos especiais

A Pronapi foi uma das pioneiras no ramo em Foz do Iguaçu. No seu 30º ano de atividade, a loja, situada na Travessa Júlio Pasa, tem produtos integrais, ervas medicinais, suplementos vitamínicos e nutrição esportiva, medicamentos fitoterápicos e alimentos especiais e funcionais – produzidos especificamente para quem possui alguma restrição alimentar, como intolerância ao glúten ou à lactose.

Quando o glúten e a lactose estão fora do menu

Lactose

Embora o nosso organismo seja geneticamente programado para desmamar, o homem é o único mamífero que continua a consumir leite depois de adulto. É natural que o organismo perca, com o passar dos anos, a capacidade de digerir a lactose. Essa é uma das explicações do alto índice de pessoas lactointolerantes.

A intolerância à lactose é uma rejeição do organismo ao açúcar do leite, causada pela falta da enzima lactase, que é produzida no intestino delgado e existe para decompor o açúcar presente no leite. Sem ela, a digestão torna-se difícil, e a lactose acaba sendo fermentada pelas bactérias do intestino.

Quem precisa excluir o leite e seus derivados do cardápio diário pode repor a proteína do leite consumindo carnes em geral. Já o cálcio pode ser reposto com o consumo de atum, sardinha, laranja e vegetais verde-escuros; e as vitaminas A, B2, B12 e D, com oleaginosas e sementes. Vale lembrar que existem os leites de arroz e de soja, que também podem ser boas fontes de cálcio e não têm lactose.

Glúten

gluten free stampEsse é o nome que recebe a proteína do trigo. E se você for intolerante ao glúten, esqueça as massas tradicionais. Em geral, o glúten é presença garantida na aveia, no trigo, no centeio e na cevada. Quem tem algum grau de intolerância ao glúten deve ingerir alimentos preparados com farinha de arroz e tubérculos em geral, como mandioca e batata.

No caso dos celíacos, que apresentam uma intolerância permanente e extrema que afeta o intestino, a dieta deve ser seguida à risca e é imprescindível o acompanhamento médico e nutricional.

Estudos internacionais apontam que 1% da população mundial tem doença celíaca, que exige retirar o glúten da dieta alimentar. No Brasil, a doença afeta mais de dois milhões de pessoas.

Serviço:

Pomare Empório – (45) 3025-1201

Pronapi – (45) 3028-4006

ProSaúde – (45) 3029-9894

(Matéria publicada na edição número 05 da Revista ACIFI. Reportagem: Andréa David / Fotos: Kiko Sierich)

COMPARTILHAR: