Congresso Empresarial Paranaense encerra com sucesso de público

(Alexandre Palmar, em 13 de novembro de 2018)


O evento atraiu quase 1000 pessoas por dia

O Congresso Empresarial Paranaense organizado pela Faciap nos últimos dias 9 e 10 de novembro em Foz do Iguaçu foi um sucesso de público. Com todas as novidades pensadas para este ano, o evento atraiu quase mil pessoas em cada um dos dias. “Nós atualizamos o modelo e com isso conseguimos atrair um público ainda mais diversificado”, acredita Michael Tamura, um dos organizadores.

O palco foi uma das grandes modificações. Nesta edição, as palestras ocorreram em uma arena 360º, em que o público ficava ao redor do convidado, o que aumentou a interação e tornou as exposições mais dinâmicas. A plenária lotou todos os dias e a avaliação foi muito positiva. Palestrantes como a jornalista Mônica Salgado, a campeã olímpica de vôlei de praia Sandra Pires, o jornalista Carlos Alberto Sardenberg e os empresários Anderson Cavalcante e Robinson Shiba foram aplaudidos de pé, com histórias que impressionaram e até emocionaram o público.

A interação com os palestrantes também foi maior nesta edição do congresso. Além do espaço reservado ao final de cada palestra para que fossem feitas perguntas aos convidados, teve tarde de autógrafos no estande da Faciap com Robinson Shiba e Anderson Cavalcante. As pessoas puderam adquirir o livro na hora no próprio estante. Muita gente compareceu para pegar sua dedicatória e tirar uma foto. A campeã olímpica Sandra Pires também recebeu o público depois de sua palestra para tirar fotos e autografar camisetas do Banco do Brasil.

Já Antônio Maciel, do site Quero Ser CEO, falou sobre o mundo corporativo na arena do congresso, e logo em seguida desceu para tirar fotos e se juntar ao público para assistir ao restante da programação do evento. Carlos Alberto Sardenberg não só traçou um panorama detalhado da política e da economia no Brasil de agora, como também lançou o Anuário de Economia Faciap 2018/2019 na plenária ao lado do presidente da federação, Marco Tadeu Barbosa. “Esse modelo de evento em que o palestrante sobe ao palco e vai embora, sem falar com ninguém, e o participante fica apenas sentado como telespectador não faz mais sentido. Queremos que cada um se sinta parte do evento, que a pessoa que se inscreveu também seja protagonista e nos ajude a fazer o congresso acontecer”, disse o presidente.

As novidades não pararam aí. Pela primeira vez foram realizadas oficinas com vagas limitadas, em que foram abordados os temas negociação, inteligência emocional, oratória e alta performance. O bate-papo ficou por conta da Escola Conquer, focada em ensinar o que não se aprende no ensino tradicional. Eram 45 vagas para cada oficina e esgotaram em minutos. A avaliação aqui também foi positiva: a média das notas ficou em 9,3. “O empresário que quer crescer, hoje precisa estar aberto a outros tipos de conhecimento e obter com informações novas”, afirmou um dos criadores da Escola Conquer, Hendel Favarin.

Também nesta edição, a Faciap resolveu colocar o empresário e as associações comerciais em contato com a tecnologia e a inovação. Uma das iniciativas foi o trabalho de aproximação com o ecossistema das startups. Houve um workshop para que os inscritos no congresso pudessem entender como criar uma startup. O trabalho foi feito pela Faciap Jovem em parceria com o Sebrae.

Os participantes tinham que identificar um problema e criar uma solução para ele. Foram montadas oito equipes e as duas melhores ideias foram selecionadas para serem apresentadas em um pitch na plenária. A primeira foi um aplicativo que forneceria serviços ao associado e que traria um sistema de pontuação. Quanto mais serviços utilizados, mais pontos acumulados, que poderiam ser trocados por outros serviços. E a segunda ideia era a criação de uma Brinquedotroca, um site para troca de brinquedos, roupas e calçados para crianças.

“Mais importante do que as soluções que foram apresentadas, foi a iniciativa da Faciap de estimular a cultura de inovação entre os empresários que participaram do congresso e entre todos que estão no sistema associativista. Precisamos levar o tema tecnologia e inovação para dentro das associações comerciais”, concluiu Marcos Rinaldi, presidente da Faciap Jovem.

Ainda nesta linha de inovação, o Congresso Empresarial Paranaense 2018 contou com mais duas parcerias significativas. A W3lcome, startup de tecnologia, instalou tablets para que os participantes pudessem fazer o seu credenciamento usando o serviço de autoatendimento. E no estante da Faciap, um robô interativo estava à disposição para atender quem tivesse dúvidas sobre o evento, o TINBOT. Ele foi criado com Inteligência Artificial e dava informações como a programação do congresso, o que havia para se fazer em Foz do Iguaçu e onde era o banheiro. “A ideia foi abrir as portas aos jovens empreendedores, que estão começando com seus negócios e tiveram oportunidade de se tornar parceiros no congresso”, contou o presidente da Faciap, Marco Tadeu Barbosa. Também havia televisores com toda a programação espalhados pelo espaço e durante o evento foi lançado o Hackathon 2019.

Feira de Negócios

O modelo de estandes comerciais, tradicional no Congresso Empresarial Paranaense, também foi modificado para virar uma Feira de Negócios. As empresas que estavam lá como expositoras puderam fechar negócios no evento e o resultado foi muito positivo. José Augusto Carvalho, da empresa Conceitosul, que atua no ramo de impermeabilização em todo o território nacional, conta que depois dos contatos que fez na feira, está certo de que estará no Congresso Empresarial Paranaense no ano que vem. “Nossa experiência foi muito proveitosa, pois em um evento como esse conseguimos conversar na maioria das situações com o tomador de decisões final nas empresas, ou seja: o empresário que é dono do negócio”.

2019

E já há uma data para o evento do ano que vem. O vídeo com a data do Congresso Empresarial Paranaense 2019 foi lançada ao final do evento deste ano. Será nos dias 25 e 26 de outubro. Assista ao vídeo aqui.

COMPARTILHAR: